O que eu preciso saber para declarar meu imposto de renda?

O que eu preciso saber para declarar meu imposto de renda?

Nessa época do ano sempre surgem muitas dúvidas de quais são as informações necessárias para declarar imposto de renda (IRPF) corretamente e principalmente, como (e onde) conseguir essas informações. Se você também está com essas dúvidas, a gente vai te ajudar!

Fizemos aqui uma espécie de “tradução” dos termos complicados que você irá encontrar no sistema da receita federal.

Antes de começarmos, aqui vai a primeira e principal dica: Não declare nada que você não possa comprovar!

Dito isso, vamos lá?

Desvendando cada campo…

1.Rendimentos: Você precisará informar ao governo toda a quantia de dinheiro que recebeu durante o ano, e é claro, apontando quais foram as fontes, ou seja, de onde veio esse dinheiro. Para isso, existem algumas possibilidades, veja em qual, ou em quais, você se encaixa:

CLT – Se você tem um trabalho registrado, com carteira assinada, sua empresa deve te enviar um INFORME DE RENDIMENTOS. Este documento é imprescindível para justificar de onde veio o dinheiro que você recebeu.

PJ – Se você tem uma empresa e trabalha como PJ, também precisará pedir à sua contabilidade um INFORME DE RENDIMENTOS, que aponte os valores recebidos por meio das Notas Fiscais que você emitiu, os registros de retiradas, as despesas, etc.

Autônomo – Caso você atue de forma autônoma, precisará enviar todas as Notas Fiscais e/ou a discriminação das fontes de onde recebeu esse dinheiro.

Doação – Recebeu alguma quantia de dinheiro como doação no último ano? Então você precisará informar o valor exato e o CPF da pessoa (ou empresa) que fez a doação. Além disso, é importante que você tenha como comprovar essa doação, mesmo que seja o extrato bancário.

Ainda aqui na parte de rendimentos, você precisará declarar os Isentos ou Não Tributáveis, que são aqueles retidos diretamente na fonte, como é o caso do FGTS Inativo, do dinheiro retirado como Distribuição dos Lucros da sua empresa (caso você seja sócio), entre outros.

2.Aplicações e Investimentos: A Receita Federal precisa saber todas as quantias que entraram ou saíram das suas contas por meio de aplicações e investimentos.

Investimentos ou Poupança – Se você tiver algum investimento em banco ou instituição financeira, não se esqueça que isso também precisa constar na sua declaração. Nesse caso, você também precisará pegar o informe de rendimento destes órgãos para que os valores possam ser declarados. Geralmente é um procedimento bem simples e você mesmo pode baixar nos sites destas instituições.

Participação Societária – Se durante o ano passado você tiver saído ou ingressado em alguma sociedade e pagou ou recebeu dinheiro por isso, também será preciso informar esses valores para a Receita Federal.

3.Bens e Direitos: Aqui você precisará informar tudo que comprou ou vendeu durante o ano para informar seu patrimônio à Receita Federal.

Móveis e Imóveis: Comprou ou vendeu algum bem neste ano? Um carro, uma casa,? Você precisará informar o valor total desses bens, além do valor específico da compra ou da venda. Aqui é importante declarar tudo o que você tem, independente da compra ou venda ter sido realizada nesse ano.

Rendimentos Bancários: Como estamos falando do seu patrimônio, você também precisará enviar um INFORME DE RENDIMENTOS completo das suas contas correntes.

Empresas: Se você tem uma empresa individual ou participa de alguma sociedade,  não pode esquecer de declarar essa empresa como um bem, informando o capital social.

4.Dívidas: É isso mesmo, a Receita Federal também quer saber das suas dívidas. Então, se você tiver realizado, ou ainda estiver pagando um financiamento ou empréstimo feito em anos anteriores, precisará solicitar um INFORME DE RENDIMENTOS para a instituição responsável.

Além disso, até mesmo nos empréstimos pessoais, será preciso informar a data inicial, o valor total do empréstimo e o valor que foi pago no ano em questão.

5.Doações Realizadas: Se você tiver feito alguma doação, seja em dinheiro ou em bens, precisará informar o valor total dessa doação e o CPF da pessoa que recebeu o dinheiro.

Aqui também é importante ter um documento que comprove a ação, podendo ser um contrato ou até mesmo um comprovante de transferência bancária.

Lembrando que nas doações de valores acima de R$60.000,00, os impostos são pagos no ato, então, se esse for o seu caso, você também precisará informar o quanto gastou com os impostos dessa doação.

6.Despesas: Aqui você poderá declarar as suas despesas, seja com gastos médicos, escolares, pensões, previdência privada, advogados, corretores, aluguéis, entre outros. Mas lembre-se que será preciso ter o comprovante de cada um destes gastos. Caso você caia na malha fina, as despesas declaradas precisarão ser comprovadas.

Uma coisa que muitas pessoas não sabem é que para não se perder, você pode ir inserindo as despesas no sistema da receita ao longo do ano. Assim não fica perdido com aquele monte de comprovantes acumulados.

7.Dependentes: Ao declarar seus dependentes, você precisará informar o grau de parentesco que tem com cada uma das pessoas que constam na sua declaração. E converse com seus familiares para que não declarem a mesma pessoa em diferentes declarações. Isso também pode acabar gerando um problemão.

É isso! Aqui descrevemos os campos que geram mais dúvidas na hora do preenchimento. É claro que existem muitos outros, mas em geral, essas são as situações mais comuns. Se tiver alguma dúvida, é só chamar nos comentários!

Ficou confuso? Entre em contato com o Simplificador que a gente descomplica pra você!

Deixe uma resposta