Vale a pena ser PJ?

Vale a pena ser PJ?

Recebeu uma proposta para trabalhar como PJ mas está em dúvida se vai compensar? Não se preocupe, nós vamos te ajudar nessa decisão!  

Fizemos um comparativo com as principais características e diferenças entre ser um funcionário contratado pela CLT ou em ter uma PJ para prestar os seus serviços. 

Antes de começarmos é bom reforçar que o primeiro ponto a ser considerado, é claro, é o salário em si. Mas, além disso, você também precisa entender o quanto consegue se planejar financeiramente. Afinal, isso é muito importante!

Pontos POSITIVOS em ser CLT:

Aqui, o que sempre vem a nossa mente é a segurança nos momentos de dificuldade, não é mesmo? Ao ser CLT, caso você seja demitido, a sua rescisão certamente irá lhe deixar um pouco mais tranquilo. Você não irá sair com uma mão na frente e outra atrás porque, por lei, você terá direito a receber:

    • O proporcional do 13º salário trabalhado, ou seja, se trabalhou até maio, você irá receber 5/12 do seu salário mensal
    • O proporcional de férias trabalhado, ou seja, se você trabalhou 10 meses depois das suas últimas férias, você irá receber 5/12*1/3 do seu salário mensal
    • Se a demissão for sem justa causa, você tem direito a 40% sobre o valor depositado pela empresa no FGTS
  • Além disso, você irá receber o aviso prévio, um salário mensal

E não se esqueça que aqui existem os famosos “descontos” referentes aos impostos a serem pagos sobre esses valores.

Pontos NEGATIVOS em ser CLT:

    • Ao longo dos anos, o valor depositado no FGTS rende menos do que a poupança. Logo, à longo prazo, você acaba “perdendo” parte esse dinheiro, já que qualquer outra forma de investimento seria mais rentável. Além disso, você não pode resgatar o FGTS quando quiser, só se for demitido ou se for usá-lo para a comprar seu primeiro imóvel
    • O valor de suas férias só pode ser retirado no momento em que você efetivamente tirar suas férias
  • Os descontos dos impostos sobre seus rendimentos são muito altos, chegando a mais 30%, dependendo do caso

Pontos POSITIVOS em ser PJ:

    • Os impostos são pagos pela chamada DAS,  guia de pagamentos mensais que reúne todos os impostos das empresas do Simples Nacional, são bem menores dos que os pagos na CLT. Ou seja, no final do mês, cai mais dinheiro na sua conta.
  • Normalmente, os salários de um PJ são maiores do que um CLT, isso para compensar valores como férias, 13º e FGTS

Para trabalhar como PJ, geralmente os prestadores de serviço acabam optando por um desses dois regimes: Simples Nacional (destinado para micro e pequenas empresas que faturam até 4.8 milhões ao ano) ou MEI (Microempeendedores Individuais que faturam até 81 mil ao ano). Porém não são todas as atividades que são permitidas ao MEI. A maioria das atividades ditas “intelectuais” não são permitidas nesse regime simplificado. 

Para saber mais informações a respeito dos Regimes Tributários do Brasil, clique aqui

Pontos NEGATIVOS em ser PJ:

  • É preciso saber se planejar financeiramente! O ideal é que você consiga separar uma parte do dinheiro que recebe por mês para fazer uma aplicação que renda mais que o FGTS (qualquer aplicação na verdade irá render mais que o FGTS), lembrando que isso é muito importante porque se você for demitido, não terá direito a nada.

É basicamente isso!

Sendo assim, é importante estar ciente de que, independente do valor que você recebe no final, para o empregador um funcionário PJ é mais barato do que um CLT, portanto, não tenha medo de negociar os valores se tiver a oportunidade!

Aqui vale a pena ressaltar que todo profissional que atua como PJ (com exceção do MEI) precisa da ajuda de um contador para que sua empresa esteja legalizada e o Simplificador pode fazer isso por você!

Leave a Reply